Reeducação

Mídia: #euresisti, será?


Surgiu na mídia essa brincadeira com a #euresisti. Veja nossa opinião sobre o assunto:

eu como nutricionista que trabalho com grupos terapêuticos de emagrecimento (em conjunto com nossa psicóloga) sugiro #hojeeuescolhoresistir ou #eupossomashojepasso. São frases que fortalecem a autonomia da escolha de que sim mesmo esses alimentos mais ricos em açúcar também podem ser consumidos com equilíbrio, prazer, sem culpa e martírio, mas que naquele momento a opção e escolha foi não comer.

Isso é equilíbrio e consciência alimentar, comer de tudo sem necessariamente comer tudo o que vê pela frente. Seja um doce ou uma maçã, a ideia está na escolha e não no alimento em si. Isso me parece mais saudável do que "eu resisti", como se fosse um alimento proibido e como se nunca comêssemos aquilo... o que para a maioria das pessoas não é uma realidade. Faz parte um petit gateau de vez em quando! E além dele, quais outros seriam alimentos deliciosos?!! Gostosuras são comida “gorda”. E coisas sem graça são comida “magra”, simples assim? Quem disse? Tudo que é bom engorda? Se assim for, a vida é realmente cruel: ou estamos fadados a comer só coisas ruins, ou seremos fatalmente gordos se comermos coisas gostosas!!

Claro que atualmente tem sido necessário rever nosso consumo de gordura, açúcar, sal e alimentos ultra processados, mas para reduzir (e não proibir) o consumo que tem sido muito exagerado. E isso como consciência e não como neurose. Lembra da adolescência, quanto mais o pai proibia, mais instigava nossos desejos em transgredir as regras!! Será diferente com a comida? O prazer em comer está relacionado à saúde, o stress e toda essa relação distorcida com a comida é contraprodutivo. O alimento, simplesmente fundamental à vida, foi transformado em inimigo! Estamos distorcendo essa relação, a angústia por ex. dos americanos com a comida invadiu também o Brasil. Tenho uma colega alemã que me conta como lá é diferente tudo isso, a comida também tem função biopsicossocial - com quem comemos, porque, como, o que pensam e sentem sobre aquele alimento, as longas horas à mesa não só para comer, mas para jogar conversa fora, como momento de reunir e interagir! Nenhum alimento por si só tem a capacidade de engordar ou emagrecer.

Obesidade e transtornos alimentares só aumentam a cada dia. Vale essa brincadeira da #, mas vamos brincar com outro enfoque? Se eu não resistir me sentirei um fracassado? Mas será que eu preciso resistir sempre? E só devo resistir às comidas "gordas"? Será que em algum momento eu posso escolher querer? Ou não? Me parece mais leve, até porque a obesidade tem causas multifatoriais que vão muito além da comida em si. É preciso refletir porque um ato simples, que já nascemos sabendo - afinal, da barriga vamos direto sugar o peito da mãe sem que ninguém nos ensine, tem se transformado em algo tão complicado e cheio de regras?! Um desafio para todos, para a mídia e inclusive para nós profissionais.

E para concluir, o comentário de uma pessoa no post sobre a tal campanha: "O pobre resiste todo dia a contra gosto. Quantas vezes fiquei só olhando as vitrines de comida prontas em mercados, padarias... Sabe porque? Não tinha como comprar então resistimos. bju".

Por Graziela Caproni - nutricionista Ciclo Novo

 



Compartilhe:




EM DESTAQUE


ENTRE EM CONTATO

NEWSLETTER

Preenchendo seus dados você estará autorizando o recebimento de informações exclusivas da Ciclo Novo como dicas, receitas etc. Além de informações periódicas sobre serviços, eventos e notícias que possam lhe interessar.

COPYRIGHT ©CICLO NOVO 2014 | E-mail: contato@ciclonovo.com.br
"As informações oferecidas por este site não são individualizadas, portanto não substituem as orientações personalizadas de seu médico, nutricionista, psicólogo e personal trainer, mas sim as complementam."